Radioativa

sexta-feira, 28 de novembro de 2008


O que as torres de celular e as castanhas-do-pará têm em comum? Te dou uma castanha se você acertar. Ambas emitem radioatividade. As torres de celular porque emitem ondas de rádio e as castanhas porque contêm rádio. E em grande quantidade: chegam a ter mil vezes mais rádio do que outras plantas. E a explicação está no intrincado sistema de raízes da castanheira-do-pará, extremamente extenso.


A castanha-do-pará ou castanha-do-brasil é a semente da castanheira-do-pará (Bertholletia excelsa), que é uma árvore nativa da Floresta Amazônica. É a única espécie do gênero. Está presente no Brasil, Guianas, Venezuela, Colômbia, Peru e Bolívia, em toda a área amazônica.


A população do Amazonas consome bastante a castanha ao natural, torrada, em forma de farinhas, doces e sorvetes. A árvore chega a medir 45 metros de altura, vive em média 500 anos e pode chegar a 1 mil anos. A castanheira-do-pará produz castanhas quase que exclusivamente em matas virgens. Nas plantações comerciais, verifica-se uma produtividade baixa e, portanto, inviável economicamente.


O nome da castanha-do-pará em inglês é "Brazil nut". Porém, o maior exportador de castanhas-do-pará é a Bolívia, e não o Brasil. O nome da castanha vem do Estado do Pará. No Acre, são chamadas de castanhas-do-acre. Questão de princípios! Pode ser chamada também de juvia e de sapucaia, que são denominações indígenas.


A castanha-do-pará tem um gosto terroso e a presença de gordura saturada está entre as mais altas entre todas as castanhas e nozes, inclusive superior ao encontrado na macadâmia. Por conta disso e do gosto forte, a castanha-do-pará substitui a macadâmia e até mesmo o coco em receitas.


Com a castanha, é possível fazer tortas, biscoitos, bolos, arroz com castanha, saladas, panquecas, docinhos e mais uma infinidade de outros usos. Uma das formas mais gostosas de se apreciar a castanha-do-pará é comê-la crua. Vale por, pelo menos, uma dessas execráveis barrinhas de cereais disponíveis por aí.

Comments

2 Responses to “Radioativa”
Post a Comment | Postar comentários (Atom)

Anônimo disse...

A propósito deste tipo de castanhas, tive conhecimento que nos Estados Unidos há quem de forma bastante racista apelide este fruto de "negroes toes". Acho que isso é mesmo redneck e completamente revelador das marcas que a escravatura e a segregação tiveram no país. Felizmente, os estados unidos é um país cheio de contrastes. Logo, são capazes do pior, mas também do melhor...A eleição de barack obama é exemplo. Bem, isto foi só uma curiosidade que me lembrei de partilhar contigo...

Bom final de exames!

Ana

28 de novembro de 2008 21:32
Redneck disse...

OI Ana, você tem razão. Se o conceito está incrustado numa castanha, imagine o quanto está arraigado na cultura do povo. É, mesmo, revelador de como se forma uma nação. E concordo com você: se há o pior, também há o melhor. E isso, para o bem e para o mal, vale para os EUA e para todos nós. Obrigado pelo desejo expresso. Estou quase no fim. Beijo!

29 de novembro de 2008 03:46